Romances históricos

 

O ÚLTIMO CONJURADO
Há sessenta anos que Portugal era humilhado pelos Filipes de Espanha. É então que um grupo de heróis decide revoltar-se. 1640. O jugo espanhol dura há sessenta anos. Seis décadas de identidade roubada, pátria escondida e falsa lealdade.
Mas algo está diferente. Há murmúrios de revolução no ar. Um vento de mudança assobia entre as ruas. Fala-se do enigmático Capitão Gualdim, nas sombras; e nas sombras se conspira. A guerra contra o domínio espanhol está prestes a rebentar.
Uma importante parte da nossa História ganha vida em O Último Conjurado, onde a realidade se cruza com uma trama de ficção apaixonante e avassaladora. Duelos, emboscadas, amores e muito mistério envolvem as principais personagens, três jovens cavaleiros que vivem todo o tipo de aventuras.
Um romance histórico que representa com rigor os factos ocorridos neste tão importante período da nossa História, enlaçado numa maravilhosa narrativa cheia de suspense e acção.

 

A REVOLUÇÃO DA MULHER DAS PEVIDES
Perante os canhões e as balas dos exércitos franceses, Ana Luzindra só tinha uma arma: a sua beleza. Mas a beleza também pode ser mortal.
“A Revolução da Mulher das Pevides” transporta-nos para os anos de terror das invasões francesas. A morte e a crueldade marchavam lado a lado com os exércitos veteranos de Napoleão. E enquanto a Família Real fugia para o Brasil, o povo ficava para suportar todo o tipo de humilhações. Na vila da Nazaré, Ana Luzindra é parteira de profissão e uma mulher simples. Para fazer frente aos canhões e balas dos franceses só tem uma arma: a sua estonteante beleza. Atraindo-os, um a um, para a morte na calada da noite, a jovem inspira toda uma comunidade e pegar em pedras e paus para expulsar os invasores.
“A Revolução da Mulher das Pevides”, expressão da Nazaré que significa “algo insignificante”, foi tudo menos isso: pelo sobressalto que pregou aos franceses, e pela posterior vingança desproporcionada que estes praticaram sobre a Nazaré, acabou por ser um dos momentos mais importantes da invasão, e inspiraria o longo e árduo caminho dos portugueses e aliados até à derradeira vitória sobre as tropas do temível Napoleão.
Recorrendo a uma pesquisa exaustiva, Isabel Ricardo oferece-nos um bilhete para um dos períodos mais importantes da História de Portugal.

 

O SEGREDO DE ANA
Corria o ano de 1850. Em casa de um dos mais influentes fidalgos da corte da rainha D. Maria II ocorre algo que, à primeira vista, parece perfeitamente banal: a apresentação do jovem Carlos Fontes para o cargo de preceptor. Nada poderia fazer prever que aquele simples acontecimento iria despoletar uma sucessão de acontecimentos dramáticos, que terminariam com um segredo horrendo, monstruoso… Um romance apaixonante, um enredo absolutamente surpreendente, uma profusão de personagens cujas histórias se entrelaçam de uma forma estonteante…

 

A DEMANDA DO MESTRE
Em Outubro de 1383, com a morte do rei D. Fernando, Portugal é lançado numa crise inquietante… A única herdeira do trono é a jovem Beatriz, casada com o rei de Castela.
Lado a lado com personagens históricas notáveis, tais como D. Nuno Álvares Pereira, o nosso Santo Condestável, e o primeiro rei da segunda dinastia, D. João I, Mestre de Avis, o leitor conhece também a escandalosa Constança e os seus amantes, e a doce e meiga Catarina, duas personagens femininas muito marcantes, que nos envolvem apaixonadamente.
Num romance histórico de leitura compulsiva, extremamente emocionante e irresistível, que nos deixa sem fôlego do início ao fim, a autora transporta-nos numa viagem até um Portugal de finais da Idade Média.

 

NUNO ÁLVARES PEREIRA
A demanda do Mestre de Avis e a vida do Santo Condestável
A figura de Nuno Álvares Pereira é hoje tão actual como em 1385. Tendo vivido num momento em que o seu País atravessava um período de grandes dificuldades políticas e económicas, não desanimou. Soube lutar e contribuir para que Portugal e o povo português pudessem ter um futuro melhor. Actuou com inteligência, eficácia e determinação, mas fê-lo demonstrando sempre um grande amor pelo seu próximo. Esta sua última característica, permitiu que tivesse sido reconhecido como santo, em Abril de 2009. A sua força interior emanava essencialmente de dois grandes valores: Um grande amor por Portugal e pelo povo português, que serviu, sem reservas, enquanto a situação o exigiu. Mas também uma grande fé em Deus e devoção a Nossa Senhora, cujas imagens sempre transportou no seu estandarte. Ao descrever, de forma muito interessante e instrutiva, o comportamento dos líderes portugueses e do povo português, no período de 1383 a 1431, a Isabel Ricardo chama a atenção para a dupla responsabilidade que todos nós temos. Com efeito, os caminhos que escolhemos e as opções que tomamos, afectam não apenas as nossas próprias vidas, mas reflectem-se também no desenvolvimento e no futuro de Portugal.»Dr. Alexandre Patrício Gouveia, Presidente da Fundação Batalha de Aljubarrota
CRIME E SEDUÇÃO
Tudo corria bem na vida de Henrique Neves, um empresário de sucesso, do Porto, até ao dia em que descobriu uma verdade cruel: Marta, a sua mulher, traía-o, dentro da sua casa e com alguém do seu sangue! Encurralado pelas circunstâncias que se sucedem a um ritmo infernal, resta-lhe assistir, impotente, a um drama que vai conduzir… ao seu assassínio.
“Surpreendente a forma como a narrativa nos prende, levando-nos a uma corrida alucinante num desejo imperioso de descortinar o epílogo. Prende-nos desde a primeira página e acompanha-nos numa viagem sedutora e inquietante, provando que ler é, sem sombra de dúvida, um prazer.”

Comments are closed